Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Bem Vindo ao Portal CEDEFES,
Notícias
Institucional Loja virtual Colunistas Biblioteca Projetos Contato
Afro Brasileiros
Povos Indígenas  
Questões da terra  
Direitos Humanos  
Educação  
Política  
   



01/09/2014
Feijoada de Muiandê


26/08/2014
Iº Encontro Regional pela Reforma Agrária e Contra a Violência no Campo


26/08/2014
Seminário Afro Pe Heitor Frisotti












Indígenas estupradas como forma de desmoralização
As mulheres são as principais vítimas da violência praticada contra a população indígena no mundo
15/01/2010

As mulheres são as principais vítimas da violência praticada contra a população indígena no mundo. As índias têm mais chance de ser estupradas do que outras mulheres. A constatação é de relatório inédito da Organização das Nações Unidas (ONU), divulgado ontem (14). O relatório também cita pesquisas mostrando que mais de uma em cada três índias é estuprada durante a vida. 
De acordo com o líder Marcos Terena, articulador do Comitê Intertribal - Memória e Ciência Indígena (ITC), o estupro é uma forma de desmoralizar as comunidades e também uma espécie de limpeza étnica. “A forma mais fácil de destruir um povo é desmoralizá-lo. Atingir a parte mais vulnerável do grupo tem esse objetivo”, disse Terena, durante a divulgação do relatório.

O racismo contra os indígenas é apontado no relatório como fator de violência, acrescentou Terena. “Em sua forma mais extrema, a discriminação pode levar a graves violações, como homicídio e estupro”, diz o documento. “Este tipo de discriminação é difícil de quantificar e verificar porque, ou não é documentado, ou não desagrega por etnia”, ponderou.

Alvo indireto
Além de violência física, as mulheres indígenas também são alvo indireto de conflitos armados ou de desastres naturais. Por causa desses problemas, muitas vezes, ficam sem acesso à educação, à terra e a recursos econômicos, embora “sejam responsáveis pelos cuidados de saúde e bem-estar de sua família e comunidade”, relata o texto.

O documento da ONU também revela que as mulheres indígenas lideram os índices de mortalidade materna. Assim como a população indígena, em geral, “experimenta níveis desproporcionais” de mortalidade infantil, desnutrição, doenças cardiovasculares, Aids, além de outras doenças infecciosas como malária e tuberculose.



Voltar

Fonte: http://oestadoce.com.br


Versão para impressão


Bookmark and Share
Rua Demétrio Ribeiro, 195 | Vera Cruz - Belo Horizonte - MG - CEP: 30285-680
Telefones: (31) 3224-7659 | 3047-7801
cedefes@cedefes.org.br
O Cedefes estimula a reprodução de textos e informações, desde que citada a fonte.
Desenvolvido por Web Nativa |
Criação de sites