Agora: Polícia ataca famílias do Acampamento Quilombo Campo Grande

14/08/2020

Fonte:https://www.facebook.com/minassemterra/

Cenário de guerra aqui, bomba, caveirão, choque contra nós, denuncia um dos atingidos.

Polícia acaba de lançar gás sobre as famílias que resistem há mais de 48 horas ao despejo criminoso comandado pelo governador Romeu Zema. Pela manhã um helicóptero avançou sobre os acampados e acampadas. São inúmeros direitos humanos sendo violados e exposição de toda região Sul de Minas Gerais à propagação do Corona Vírus. As famílias estão sem dormir ou se alimentar direito. E não há como evitar aglomeração. Há grávidas, idosos e outras pessoas do grupo de risco, completamente expostas ao vírus e à violência policial.

Ana Cláudia da Silva Alexandre Storch, da Defensoria Especializada em Direitos Humanos, explicou que a área referente ao processo de despejo no Acampamento Quilombo Campo Grande, Sul de Minas Gerais, já foi reintegrada e não há motivo para a permanência da polícia no local. Uma comissão da assembleia legislativa está a caminho de Campo do Meio para acompanhar o caso e tentar garantir a integridade das famílias. O MST já desocupou a área referente à sede da usina e luta para que casas e lavouras não sejam destruídas. Quantas vidas você pretende ceifar para que a situação se resolva, Zema? Retire suas tropas de lá!

#ZemaCriminoso #SalveQuilombo

AGORA: POLÍCIA ATACA FAMÍLIAS DO ACAMPAMENTO QUILOMBO CAMPO GRANDE

🚨 AGORA: POLÍCIA ATACA FAMÍLIAS DO ACAMPAMENTO QUILOMBO CAMPO GRANDE🚨Cenário de guerra aqui, bomba, caveirão, choque contra nós, denuncia um dos atingidos.Polícia acaba de lançar gás sobre as famílias que resistem há mais de 48 horas ao despejo criminoso comandado pelo governador Romeu Zema. Pela manhã um helicóptero avançou sobre os acampados e acampadas. São inúmeros direitos humanos sendo violados e exposição de toda região Sul de Minas Gerais à propagação do Corona Vírus. As famílias estão sem dormir ou se alimentar direito. E não há como evitar aglomeração. Há grávidas, idosos e outras pessoas do grupo de risco, completamente expostas ao vírus e à violência policial. Ana Cláudia da Silva Alexandre Storch, da Defensoria Especializada em Direitos Humanos, explicou que a área referente ao processo de despejo no Acampamento Quilombo Campo Grande, Sul de Minas Gerais, já foi reintegrada e não há motivo para a permanência da polícia no local. Uma comissão da assembleia legislativa está a caminho de Campo do Meio para acompanhar o caso e tentar garantir a integridade das famílias. O MST já desocupou a área referente à sede da usina e luta para que casas e lavouras não sejam destruídas. Quantas vidas você pretende ceifar para que a situação se resolva, Zema? Retire suas tropas de lá!#ZemaCriminoso #SalveQuilombo

Posted by Minas Sem Terra on Friday, August 14, 2020

Print Friendly, PDF & Email