';

Urgente! iminência de massacre no Território do Vale das Cancelas, no município de Grão Mogol, no norte de Minas Gerais

03/10/2017

Saúde Campo Floresta

Fonte:http://www.saudecampofloresta.unb.br/?p=247281

No dia 03/10/2017, famílias das Comunidades Tradicionais Geraizeiros do Vale das Cancelas, em Grão Mogol, no norte de Minas Gerais, estão resistindo contra a destruição do pouco que ainda tem de cerrado, destruição feita pela Empresa JR Reflorestadora, do Grupo da Floresta Minas.
Ao estilo dos seringueiros da Amazônia e de Chico Mendes, os geraizeiros estão fazendo “empate”, ou seja, bloqueando a continuidade da ação destruidora da empresa eucaliptadora que ocorre na Comunidade São Francisco, localizada no município de Grão Mogol. A empresa destruiu uma grande área de CERRADO localizado na comunidade. Desmataram e gradearam a terra para o plantio de monocultura do eucalipto. As famílias Geraizeiras foram para a chapada e fizeram um cordão humano para impedir que as suas terras ancestrais sejam novamente tomadas pela monocultura do Eucalipto. Esta área é terra devoluta/pública e pertence ao Território Geraizeiro, mas está grilada há várias décadas por empresas eucaliptadoras. O confronto ocorre neste momento, num clima muito tenso, as famílias impedem com o próprio corpo avanço das máquinas. Exigimos que:
a) Os órgãos públicos cumpram sua função de defesa das comunidades e do meio ambiente;
b) As organizações populares ajudem nesse momento de enfrentamento.

Fomos informados que a polícia já foi acionada pela Empresa e funcionários da JR foram até o local, de forma agressiva e ameaçadora disseram que os trabalhadores serão retirados à força pela polícia. A PM/MG irá cumprir esse papel de guarda de empresas grileiras e degradadoras do meio ambiente?
Não podemos deixar que mais essa injustiça aconteça com o povo camponês superexplorado e de luta do Vale das Cancelas.
Exigimos das autoridades e órgãos responsáveis providências urgentes no sentido de garantir a defesa das comunidades e do bioma cerrado já tão violentado.
Em defesa da Casa Comum. Em defesa do Povo Pobre. Em defesa da Vida.
Assina essa Nota:
Comissão Pastoral da Terra de Minas Gerais (CPT/MG).

Obs.: Assista e divulgue essa nota e os 2 vídeos gravados hoje, dia 03/10/2017, no local onde o capital está violentando as comunidades camponesas e todo o meio ambiente:

Posted by Gilvander Moreira on Tuesday, October 3, 2017

 

Urgente! Apelo às autoridades do Estado de Minas Gerais: iminência de massacre no Território do Vale das Cancelas, no município de Grão Mogol, no norte de Minas Gerais.Hoje, dia 03/10/2017, famílias das Comunidades Tradicionais Geraizeiros do Vale das Cancelas, em Grão Mogol, no norte de Minas Gerais, estão resistindo contra a destruição do pouco que ainda tem de cerrado, destruição feita pela Empresa JR Reflorestadora, do Grupo da Floresta Minas.Ao estilo dos seringueiros da Amazônia e de Chico Mendes, os geraizeiros estão fazendo “empate”, ou seja, bloqueando a continuidade da ação destruidora da empresa eucaliptadora que ocorre na Comunidade São Francisco, localizada no município de Grão Mogol. A empresa destruiu uma grande área de CERRADO localizado na comunidade. Desmataram e gradearam a terra para o plantio de monocultura do eucalipto. As famílias Geraizeiras foram para a chapada e fizeram um cordão humano para impedir que as suas terras ancestrais sejam novamente tomadas pela monocultura do Eucalipto. Esta área é terra devoluta/pública e pertence ao Território Geraizeiro, mas está grilada há várias décadas por empresas eucaliptadoras. O confronto ocorre neste momento, num clima muito tenso, as famílias impedem com o próprio corpo avanço das máquinas. Exigimos que:a) Os órgãos públicos cumpram sua função de defesa das comunidades e do meio ambiente;b) As organizações populares ajudem nesse momento de enfrentamento. Fomos informados que a polícia já foi acionada pela Empresa e funcionários da JR foram até o local, de forma agressiva e ameaçadora disseram que os trabalhadores serão retirados à força pela polícia. A PM/MG irá cumprir esse papel de guarda de empresas grileiras e degradadoras do meio ambiente? Não podemos deixar que mais essa injustiça aconteça com o povo camponês superexplorado e de luta do Vale das Cancelas.Exigimos das autoridades e órgãos responsáveis providências urgentes no sentido de garantir a defesa das comunidades e do bioma cerrado já tão violentado. Em defesa da Casa Comum. Em defesa do Povo Pobre. Em defesa da Vida.Assina essa Nota:Comissão Pastoral da Terra de Minas Gerais (CPT/MG).Obs.: Assista e divulgue essa nota e os 2 vídeos gravados hoje, dia 03/10/2017, no local onde o capital está violentando as comunidades camponesas e todo o meio ambiente:1) https://www.facebook.com/gilvandermoreira1/videos/1993641527580392 2) https://www.facebook.com/gilvandermoreira1/videos/1993643827580162 Montes Claros, MG, 03 de outubro de 2017.

Posted by Gilvander Moreira on Tuesday, October 3, 2017

 

 

Montes Claros, MG, 03 de outubro de 2017.