';

Especial Não Esqueça a Lama: três anos de um crime continuado

08/11/2018

Fonte:https://www.brasildefato.com.br/2018/09/05/especial-nao-esqueca-a-lama-or-tres-anos-de-um-crime-continuado/

Brasil de Fato lança série de matérias sobre a maior tragédia ambiental da história do país

Há quase três anos do que é considerada a maior tragédia ambiental da história do país, o Brasil de Fato lança o Especial “Não Esqueça a Lama”, para retratar a atual situação das famílias atingidas pela Barragem de Fundão, no município de Mariana (MG), as consequências sociais, ambientais e econômicas à região e a impunidade das empresas envolvidas nesse processo.

O crime aconteceu na tarde do dia 5 de novembro de 2015, quando um estrondo chegou aos ouvidos dos moradores de Bento Rodrigues, em Mariana (MG). A Barragem de Fundão, das mineradoras BHP Billiton, Samarco e Vale, havia se rompido. Ao todo, foram 19 mortos, um aborto forçado pela lama e 55 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minérios que se espalharam pelos rios Gualaxo do Norte, Carmo e Doce até a sua foz, em Regência (ES). Mas, a complexidade dos impactos na vida de cada atingido ainda é incalculável. Contaminação das águas, problemas de saúde (física e mental), moradias destruídas, perda de fontes de trabalho e renda e dispersão dos laços comunitários são alguns dos muitos problemas encontrados ao longo desses 3 anos de crime continuado.

 

Reparação de danos da tragédia de Mariana ainda é insuficiente

Rompimento de barragem da Samarco completa 3 anos no próximo dia 5 de novembro - Créditos: Fotos: José Eduardo Bernardes/Brasil de Fato

 

A cada dia que passa o crime só renova, diz atingida por crime ambiental em Mariana

“Somos fortes e somos muitos e somos loucos, loucos por Bento Rodrigues.” Esse é o lema do grupo “Loucos por Bento”.  - Créditos: Nilmar Lage

 

Samarco tenta apagar marcas do crime no Rio Doce

 Desde a tragédia, os atingidos pelo maior crime socioambiental do país lutam para ter seus direitos e ressarcimentos garantidos - Créditos: Reprodução/MAB

 

No TAC sobre tragédia de Mariana, juiz aprova mudanças que não estavam previstas

A principal alteração em termo aditivo diz respeito à contratação da Assessoria Técnica de apoio aos atingidos ao longo da Bacia do Rio Doce - Créditos: Foto: Rogério Alves/TV Senado

 

Quais são as propostas dos presidenciáveis para a atividade mineradora?

Maioria dos candidatos à presidência simplesmente oferece a gestão do setor minerador à ação das forças de mercado  - Créditos: Pixabay

 

MP aprova mais participação dos atingidos, mas violação de direitos continua

O Movimento de Atingidos por Barragens (MAB) se posicionou criticamente às mudanças - Créditos: Foto: Lidyane Ponciano

 

Entidades denunciam construção de casas e hortas sobre a lama da Samarco

Odete Cassiano: “No meu quintal, a lama subiu 1,73 m. E eu perdi tudo que tinha lá” - Créditos: Arquivo Pessoal Odete Cassiano

 

A lama da Samarco e o crime que se renova

"Todos os acompanhados pelos médicos apresentam os mesmos sintomas que aparecem em milhares de pessoas até a foz do rio Doce" - Créditos: José Cruz/Agência Brasil